VALE ESPORTIVO: Liga Feminina de Futsal "exclui" times do Vale do Paraíba

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Liga Feminina de Futsal "exclui" times do Vale do Paraíba

#Por Talita Leite

Começa nessa terça-feira, dia 25 de junho, a Liga Feminina de Futsal de 2013. Diferentemente do que ocorreu na Temporada de 2012, quando Pindamonhangaba e São José dos Campos entraram na disputa,
dessa vez, o Vale do Paraíba será mero espectador.


A ausência da Princesa do Norte era tragédia anunciada, diante do descaso para com o esporte, que desde o início do ano, impera no município. Mas o caso do Buzzo Sports, de São José dos Campos, surpreendeu.

A equipe joseense atrasou o pagamento da franquia, e mesmo depois de regularizar sua situação,
acabou ignorada pela organização da Liga Feminina de Futsal.

Diante dessas circunstâncias, a competição contará com 12 equipes; no Grupo A, estão São Caetano / Drummond / NS, Nacional Gás / Unifor - CE, A.D.São Bernardo / A.Sabesp, Hidráulica Brasil / Fará - GO, Jaguaré / Taboão da Serra e Kurdana / Cotia, e no Grupo B, aparecem Copobras / São Ludgero / FME - SC, Kindermann / Uniarp / Adami - SC, UnoChapecó / N'Tozzo / Aurora - SC, Barateiro Futsal / FME - SC, Londrina Futsal - PR e Cianorte / Café / SantaMassa - PR.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Os "novos" administradores do esporte pindamonhangabense, talvez nem tenham a exata noção, do prejuízo que essa ausência representa, levando-se em conta que em 2012, a cidade foi inclusive, sede da Primeira Fase.

Mas os representantes de São José dos Campos sentiram o golpe, e publicaram uma nota na FanPage da equipe no Facebook. 

Acompanhe a seguir, o texto na íntegra;

Amigos, amigas, professores e profissionais do Futsal Feminino, viemos aqui manifestar a indignação da nossa equipe - Buzzo Sports/São José/Funvic – em relação ao descaso da CBFS - Confederação Brasileira de Futebol de Salão e das pessoas que estão à frente da “organização” da Liga Nacional de Futsal Feminino 2013.

Digo organização entre aspas pelo fato da competição mais importante do salonismo feminino brasileiro, a cada ano, regredir ao invés de crescer.

Nós, atletas e comissão técnica, sabemos da luta diária de muitas equipes brasileiras em manter a estrutura necessária e suas atletas na equipe. Atletas e professores que deixam, muitas vezes, suas famílias em suas casas em busca de um ideal, em busca de títulos ou simplesmente para fazer o que amam.

Dentro de alguns dias será realizada a Liga Nacional 2013 e por motivos políticos internos em nossa cidade, houve um atraso no pagamento da franquia. Pagamento este que foi acertado e esta em suas ultimas parcelas.

Diante desses acontecimentos nossa equipe está impedida de participar da edição 2013. Uma decepção muito grande para as atletas, comissão técnica, prefeitura e patrocinadores, patrocinadores estes que podem desistir de patrocinar nossa equipe por este motivo.

Dirigentes de outras equipes concordam em ter uma Liga Nacional com apenas 12 equipes. Em 2012 tivemos um número recorde de equipes (14 equipes), resultando em um campeonato de altíssimo nível. Diante deste fato vemos que o Futsal Feminino é apenas uma pedra no caminho da Confederação que não faz esforço nenhum para que este campeonato seja realizado.

O interesse desses dirigentes está acima do nosso esforço de cada dia, da saudade da família que está longe, das dores que sentimos todos os dias na nossa busca pelo melhor desempenho e acima da nossa dignidade de podermos manter nosso trabalho.

Será que é interessante mais uma equipe que se encontra em condições de mostrar um excelente futsal ficar de fora desta competição, já que os pagamentos foram colocados em dia?

Continuamos cumprindo com nossa obrigação com a esperança de que uma reunião seja feita e seja decidido o nosso futuro. O Futsal Feminino do Brasil deveria se unir para que haja mais apoio, mas pelo que vimos cada um defende seus interesses e isso faz com que o nível da competição caia ou sempre a mesma equipe seja campeã, não permitindo que boas equipes adentrem a competição para disputar títulos “na bola”.

Hoje temos mais uma equipe fora da Liga Nacional, provando que a desunião entre nós ainda é grande. Se equipes que não pagaram a franquia poderiam participar, por que não nós que bem ou mal estamos em dia com a CBFS?

Qual será o nosso futuro? Será que equipes sobreviverão para que possamos trabalhar?
Atletas e professores terão seus empregos garantidos? 
Quanto menos equipes, melhor para a modalidade?

A cada dia mais meninas iniciam no futsal e a qualidade técnica das jogadoras melhora graças ao trabalho e ao esforço dos envolvidos. 

Será que isso pode ser jogado fora desta maneira?

Descaso com a nossa modalidade é realidade e temos que fazer com que este cenário mude nos unindo e fazendo com que mais equipes participem da Liga Nacional. 

Oportunidades para todos em igualdade!